10 chaves para evitar a dor de pés neste verão

Atualizado 06/08/2016 11:43:32 CET

MADRI, 6 Ago. (EDIZIONES) –

As longas caminhadas, o calçado e o calor são características do verão que, se bem que são uma mostra de que está de férias, colocam em risco algumas partes do corpo como, por exemplo, os pés, os quais costumam estar sobrecarregados, com bolhas e feridas.

Algumas complicações que causam dor, por que o Colégio Oficial de Podólogos da Comunidade Valenciana foi elaborado um documento com dicas para evitar que essas doenças estragar as férias:

1. Usar um calçado adequado. Deve ser confortável, fabricado em materiais naturais, como a pele, garantindo uma boa fixação do pé, que se adapte ao seu movimento e lhe permita acontecer. Há cidades, principalmente na Europa, em que as ruas são pavimentadas, por isso é importante levar um calçado com boa sola, que minimize o impacto com este tipo de calçada.

2. Evitar sapatos de salto alto , pois causarão maior tensão nos músculos, no aparelho locomotor, aumentará a pressão em determinados pontos da planta do pé e aumenta a probabilidade de sofrer de dor e arranhões na área.

3. O calçado deve ter-se estreado com antecedência para que se tenha adaptado o pé e não cause feridas ou bolhas na pele.

4. Escolher adequadamente os meias. Devem ser de nossa tamanho e nunca mais, algo que ocorre com freqüência, pois, neste caso, é arrugarían produzir o atrito. Recomenda-Se usar meias de tecidos técnicos, que minimizam as dificuldades, os tradicionais de algodão ou de lã que incorporam fibras sintéticas elásticas e permitem que se encaixam perfeitamente, sem formar rugas e também o uso de tecidos como o ‘Coolmax’ que deixam acontecer perfeitamente o pé, evitando a transpiração e, em consequência, as feridas, bolhas, maus odores e, inclusive, a ocorrência de fungos ou pé-de-atleta. Também é aconselhável escolher sem costuras.

5. Se o podólogo tem indicado a necessidade de utilização de modelos é importante usá-las em suas caminhadas.

6. Os pés devem se hidratar diariamente porque em uma pele nutrida é mais difícil do que se produzam fricção. Isso sim, pode impedir a parte interdigital, porque com o calor poderia absorver e provocar o aparecimento de fungos entre os dedos.

7. As unhas não devem ser longas, mas não excessivamente curtas, pois podem se ferir por roçar excessivamente contra a biqueira do calçado, podendo causar dores e hematomas. São de cortar retas, sem que fiquem picos, e não tentar retirar os lados, das esquinas, porque a carne da borda da unha vai ocupar esse espaço “livre” quando crescer se vão produzindo os famosos e dolorosos “uñeros”.

8. Depois de uma intensa jornada, é bom aplicar alguns cuidados extras para que se reponham perfeitamente para o dia seguinte. Um bom exemplo são as massagens dos pés e os tratamentos antiinflamatorios, como, por exemplo, os banhos de contraste.

Estes consistem em que eles fossem imersos em água fria por um bom tempo, aproveitando, assim, as qualidades anti-inflamatórias e antiedematosas do frio, o que ajudará também a reduzir a possibilidade de surgir alguma bolha se ela ainda está em estado incipiente. Depois são colocadas em água morna e, finalmente, de novo em água fria, o que vai estimular a circulação sanguínea. Ao terminar, devem hidratar os pés para que a pele esteja elástica aplicando vaselina ou um creme hidratante.

9. Pode-se detectar alguma bolha, nunca se deve explorar nem retirar a pele , pois esta protege de possíveis infecções. Convém limpá-lo com um anti-séptico e deixe-a secar todo o possível ao ar sem obstrução.

10. No caso apareça algum calo, dureza ou outro tipo de incômodo é recomendável ir ao podólogo para que os elimine antes de sair de viagem e que possa tratá-los adequadamente para evitar problemas maiores que podem afetar a marcha ao caminhar.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

¤